PY2GEA
Grêmio de Radioamadores da Rodada Encontro de Amigos

Saiba Tudo Sobre a Rinite Alérgica

A rinite alérgica está presente no cotidiano de muitas pessoas, que às vezes têm dúvidas sobre essa doença. Reproduzimos aqui as principais perguntas feitas pelos pacientes, com suas respectivas respostas.
O que é alergia?
É a resposta alterada do sistema imunológico diante de substâncias que normalmente são inofensivas à maioria dos seres humanos. A função deste sistema é distinguir o que faz parte do nosso corpo daquilo que nos é estranho; quando detecta um intruso, o organismo age por meio de uma resposta. Devido à condição genética do indivíduo alérgico, a reação imunológica é exagerada quando a exposição à substância estranha – chamada de alérgenos – se repete. Isso provoca manifestações clínicas que dependerão da região do organismo em que estas respostas ocorrerem.
O que é rinite alérgica?
Rinite alérgica é o processo inflamatório alérgico da mucosa de revestimento das fossas nasais (tecido alvo na rinite).
Quais os principais alérgenos envolvidos na rinite alérgica?
Os principais alérgenos inalantes são: poeira doméstica, ácaros, mofo, secreções e excreções animais, penas, plumas e pêlos de animais, pólens e poluentes. Alérgenos alimentares e medicamentosos também podem provocar os sintomas da rinite.
Quais os principais sintomas da rinite alérgica?
Obstrução nasal, espirros freqüentes, prurido nasal e coriza (secreção) clara abundante. Coceira na garganta e nas orelhas podem estar presentes, assim como alguns sintomas oculares associados: lacrimejamento, prurido, inchaço e vermelhidão nas pálpebras. Voz desnasalizada, diminuição do olfato, respiração oral, ronco noturno e mau rendimento físico e mental também podem aparecer. Não é rara a associação da rinite alérgica com outras manifestações alérgicas como asma brônquica, dermatites e conjuntivites alérgicas.
Como diagnosticar a rinite alérgica?
O diagnóstico é clínico. Leva em conta os sintomas do paciente, dados sobre o ambiente domiciliar e/ou profissional, seus hábitos, antecedentes familiares de alergia, utilização de medicamentos, fatores agravantes e desencadeantes e seu exame físico. Em alguns casos, o médico também pode utilizar exames específicos que visam detectar os respectivos alérgenos ou exames para se fazer o diagnóstico diferencial com outras efecções.
Na próxima semana continuaremos com este tema abordando os seguintes tópicos: como tratar a rinite alérgica, quais as medidas ambientais importantes para seu controle, a cura, sintomas diferenciais, chances de um indivíduo ser alérgico, idade em que a rinite começa a se manifestar e principais complicações e conseqüências.

Obs.: Este texto foi extraído de pesquisas na internet. O original se encontra arquivado

Volta PY2GEA Volta Saúde