PY2GEA
Grêmio de Radioamadores da Rodada Encontro de Amigos

Saiba Mais Sobre a Rinite Alérgica

Como tratar a rinite alérgica?
O tratamento pode ser feito por meio da administração oral de comprimidos, da inalação de medicamentos tópicos nas fossas nasais ou de injeção intramuscular de substâncias. O objetivo é aliviar a obstrução nasal e controlar os espirros, a coriza e o prurido, restabelecendo assim a qualidade de vida alterada pelas manifestações alérgicas. O uso dos vários medicamentos disponíveis depende dos sintomas presentes em cada caso e sua intensidade. Pode-se ainda tratar o paciente alérgico por meio da administração cuidadosa de alérgenos para modificar sua resposta imunológica. Esse tratamento é chamado de imunoterapia.
Deve-se evitar o uso prolongado de soluções vasoconstritoras (que comprimem os vasos sangüíneos) tópicas nasais, pelos possíveis riscos de efeitos colaterais sistêmicos destes medicamentos e também por provocarem piora dos sintomas a longo prazo (rinite medicamentosa). Cirurgias também podem ser realizadas nos casos rebeldes ao tratamento clínico. O controle ambiental é fundamental para o sucesso.
Quais as medidas ambientais importantes para o controle da rinite alérgica?
Não ter animais de estimação em casa, principalmente no dormitório do paciente;
Evitar umidade excessiva e manter a casa ensolarada, principalmente no quarto da pessoa que tem rinite;
Não manter no dormitório do paciente objetos que facilitem o acúmulo de pó (bichos de pelúcia, livros, brinquedos em excesso);
Aspirar regularmente os pisos de carpetes com filtros adequados. Dar preferência a pisos de cerâmica, vinil ou madeira;
Evitar cortinas e tapetes. Se não for possível, lavá-los quinzenalmente usando soluções que eliminem os ácaros;
Filtros de ar e desumidificadores podem ser úteis, principalmente em locais muito úmidos;
As roupas de cama devem ser lavadas freqüentemente. Prefira edredões a cobertores;
Evitar colchões e travesseiros de penas ou plumas e forrá-los com capas laváveis;
Evitar contato com irritantes que podem piorar as condições de funcionamento nasal. Entre eles estão o fumo, produtos de odores fortes (talco, perfumes, produtos de limpeza, tintas), poluentes, temperaturas frias e ar condicionado.
A rinite alérgica tem cura?
Não. O indivíduo alérgico pode manifestar seus sintomas quando exposto aos respectivos alérgenos aos quais é sensível. Porém, é muito importante dizer que a rinite alérgica pode ser controlada com as medidas terapêuticas disponíveis associadas ao controle ambiental.
A rinite alérgica pode ser confundida com outras doenças?
As principais queixas referidas pelos pacientes portadores de rinite alérgica também podem estar presentes nos resfriados, gripes e sinusites.
Quais as chances de um indivíduo ser alérgico se seus pais são alérgicos?
Se ambos os pais são alérgicos, as chances são de 50%. Se apenas um dos pais for alérgico, são 30%.
Se nenhum dos dois for alérgico, as chances caem para 10%.
Há idade certa para a alergia começar a se manifestar?
A alergia começa quando o indivíduo com tendência a alergia é exposto repetitivamente durante um certo período de tempo ao alérgenos ao qual é sensível. Ela pode aparecer a qualquer momento da vida, embora a época mais comum seja durante a infância. Pode começar, por exemplo, com 60, 70 anos ou mais, mesmo que a pessoa tenha contato com os alérgenos há anos.
A rinite alérgica é comum?
Estima-se que pelo menos 20% da população possa desenvolver algum tipo de alergia, sendo que a rinite alérgica é uma das mais comuns.
Quais as principais complicações e conseqüências da rinite alérgica?
A obstrução nasal causada pela rinite pode forçar o paciente a adotar a respiração bucal, prejudicial às vias aéreas inferiores (traquéia, brônquios, alvéolos e tecido pulmonar) pelo não aquecimento do ar inspirado. A respiração bucal pode levar também a alterações de oclusão dentária e do desenvolvimento facial principalmente nas crianças.
A diminuição ou ausência de ventilação nasal facilita o aparecimento de sinusites e otites. A rinite alérgica também pode alterar a qualidade de vida do paciente ao prejudicar a atividade física, trazer problemas de concentração, comprometer o sono e limitar a interação social.

Obs.: Este texto foi extraído de pesquisas na internet. O original se encontra arquivado

Volta PY2GEA Volta Saúde