PY2GEA
Grêmio de Radioamadores da Rodada Encontro de Amigos

Causas da Febre em Crianças

A seguir, algumas noções sobre as causas mais comuns da febre em crianças de diferentes idades:

Recém-Nascido (do nascimento até 1 mês)
Nesta primeira fase da vida, deve-se sempre consultar o pediatra, pois crianças dessa faixa etária não apresentam sintomas muito precisos e os quadros infecciosos podem ser potencialmente
graves. O local da infecção pode variar e ela ter começado antes mesmo do nascimento, ainda no útero materno, durante o parto ou após o nascimento, contraída no meio ambiente.
Os sinais de
alarme para bebês dessa faixa etária, além de febre, são: inapetência (não aceita o leite), vômitos (não confundir com a regurgitação) e hipoatividade (criança "caidinha"). Outros fatores que podem levar a um aumento de temperatura do corpo, mesmo nos bebês sadios, são: pouca ingestão de água (em crianças não amamentadas no seio materno), pouca ingestão de leite materno, roupas em excesso ou ambientes muito quentes e abafados.

Bebês (de 1 a 12 meses)
Nesta fase, a febre é freqüentemente causada por
resfriados, infecções de ouvido e outras infecções respiratórias comuns. Também ocorrem após a aplicação de vacinas. Outras viroses não respiratórias como diarréias, por exemplo, também podem causar febre nesta faixa etária, principalmente em crianças não amamentadas com leite materno.

Crianças com idade pré-escolar (de 1 a 5 anos)
Nesta faixa de idade, a febre é mais freqüentemente causada pelas infecções respiratórias, especialmente
amigdalites, as faringites e problemas no ouvido. As infecções que se caracterizam por uma erupção da pele – como sarampo, rubéola ou catapora – podem causar febre por vários dias.

Crianças em fase escolar (de 6 a 14 anos)
Na idade escolar, as
infecções respiratórias são novamente a causa mais comum da febre. A partir do momento que as crianças vão alcançando mais idade, a temperatura se torna mais estável. Portanto, quando ocorrer um aumento de temperatura acima de 38,3ºC neste grupo de idade, o mais provável é que ele seja causado por uma infecção.

Não se deve ficar alarmado quando a criança tiver febre, uma vez que a maioria dos episódios febris são benignos e limitados. Antes de mais nada, é preciso verificar se a criança de fato está com febre (temperatura axilar maior que
37,5ºC ). Confirmando a febre, o importante a fazer é observar o estado geral da criança. Mas não se esqueça que o seu pediatra é a pessoa mais indicada para orientar, e se necessário, instituir um tratamento adequado.

Obs.: Este texto foi extraído de pesquisas na internet. O original se encontra arquivado

Volta PY2GEA Volta Saúde